segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Ato reflexo de uma vida medíocre

Há uma vida que me aparta dela.
E há um poema para cada gesto,
não considerando, a minha existência.
Os poemas não vão deixar de existir.
Eles são meu carnaval reflexo,
meu acento circunflexo,
meu modo de parir.

Um comentário:

Wanderley Elian Lima disse...

Quanto chegamos , eles já estavam, quando formos eles ficarão.
Bjux

Postar um comentário