sábado, 13 de outubro de 2012

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

''Eu,nutrido de discernimento,num túmulo de carne,estou/Enterrado acima do chão.'' - William Cowper

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

amanheço que me atento torta
ermo verbo de expressão morta
cálido sentimento
sou pálida



intento.

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

A chegada da caixa de abelhas - poema de Sylvia Plath

''
Encomendei esta caixa de madeira
Clara, exata, quase um fardo para carregar.
Eu diria que é um ataúde de um anão ou
De um bebê quadrado
Não fosse o barulho ensurdecedor que dela escapa.

Está trancada, é perigosa.
Tenho de passar a noite com ela e
Não consigo me afastar.
Não tem janelas, não posso ver o que há dentro.
Apenas uma pequena grade e nenhuma saída.

Espio pela grade.
Está escuro, escuro.
Enxame de mãos africanas
Mínimas, encolhidas para exportação,
Negro em negro, escalando com fúria.

Como deixá-las sair?
É o barulho que mais me apavora,
As sílabas ininteligíveis.
São como uma turba romana,
Pequenas, insignificantes como indivíduos, mas meu deus, juntas!

Escuto esse latim furioso.
Não sou um César.
Simplesmente encomendei uma caixa de maníacos.
Podem ser devolvidos.
Podem morrer, não preciso alimentá-los, sou a dona.

Me pergunto se têm fome.
Me pergunto se me esqueceriam
Se eu abrisse as trancas e me afastasse e virasse árvore.
Há laburnos, colunatas louras,
Anáguas de cerejas.

Poderiam imediatamente ignorar-me.
No meu vestido lunar e véu funerário
Não sou uma fonte de mel.
Por que então recorrer a mim?
Amanhã serei Deus, o generoso – vou libertá-los.

A caixa é apenas temporária.
''

quarta-feira, 11 de julho de 2012

'' Só começamos a viver quando concebemos a vida como tragédia...'' W. B. Yeats
''O ateísmo nada me oferece,é verdade mas como a realidade me basta e só quero viver o que sou então o ateísmo me oferece tudo,tudo que um dia a religião me roubou.'' - Richard Coughlan -

segunda-feira, 2 de julho de 2012

Um prato de angústia

O que eu quero dizer comigo
não passa do instante
que não existe

coeficiente para fracos.


Caduco à espera do verso
que sai torto de antemão.


Não vago,enleio
melo,
sobejo,
boca suja no chão.


Controlo uma mente
sem antecedente
espero dormente
uma rima
que me acrescente
um pouco mais
nisso que não sou.

Um prato de angústia
perfeito e quente
é o meu coração.

Que rima pequena
sem cacife,tosca.
De um lado que ilumino
Esquivo o que sou.

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Meu grande desafio

você acha um bom colo na morte,
tentativa sem suspeita
insuspeita reza
que é quando o gesto não tem mais observação,
afago a coisa sem letra
divergindo espécies
mas a meta atrás disso
vem pra ser(mais do que bonito)
passo,dança,ou condecoração,
o isso,o isso, a sombra,
a noite,a faca,a carne,a esmola,
o povo aturdido e as noites sem ânsia
querendo distância de mim...


Meu umbigo...(cresce esperança!)
de não me ter parido...
eu(a noite importunando as cerejas)...


mas olho, e o espaço é ínfimo...
ínfima loucura da gentileza.
Meu grande desafio.

terça-feira, 19 de junho de 2012

Sem teorias

O que parece ser
se retém no presente.


É isso que chamamos de desgosto


com gosto

encardido na boca
analfabeta e pouco civilizada
da dor.

domingo, 17 de junho de 2012

sábado, 9 de junho de 2012

sexta-feira, 8 de junho de 2012

terça-feira, 5 de junho de 2012

Insípida

Sem
sabor
estou.
Mais morta
do que a própria
morte.
Crime e castigo.
Antecedente específico.

Não quero,
mas levo isso comigo.

quinta-feira, 31 de maio de 2012

Hipérbole suave

Desafio a verdade
atenta aos fracassos
que ela compõe.
Contaminada de sentidos.
Sem sentidos.
Hipérbole suave.
Que faz disso
grande coisa.

sábado, 26 de maio de 2012

Pouco

Quero dormir
em um grande domingo
da minha vida.
Onde eu não possa
nem pouse.
Onde o critério da dor
não seja mais a dúvida.
Onde sem mim
eu possa pedir
perdão por isso.



Velho afetado,
testamento em Vida,
grande e mulambento.

sábado, 12 de maio de 2012

''A Vida é Dor. Quem deseja, sofre; quem vive, deseja; a vida é dor. Quanto mais elevado é o espírito do homem, mais sofre. A vida não é mais do que uma luta pela existência com a certeza de sermos vencidos. A vida é uma incessante e cruel caçada onde, às vezes como caçadores, outras como caça, disputamos em horrível carnificina os restos da presa. A vida é uma história da dor, que se resume assim: sem motivo queremos sofrer e lutar sempre, morrer logo, e assim consecutivamente durante séculos dos séculos, até que a Terra se desfaça. '' - Arthur Schopenhauer

quinta-feira, 3 de maio de 2012

''Quando você estiver estudando qualquer assunto ou considerando qualquer filosofia,pergunte-se somente isto:quais são os fatos,e qual é a verdade que os fatos sustentam.'' - Bertrand Russell